O poema 'a quem possa interessar' de Adrian Mitchell

por Adrian Mitchell


Adrian Mitchell (1932 - 2008) foi um escritor extremamente prolífico, autor de um grande número de romances, peças de teatro e poemas, para adultos e, cada vez mais, para crianças - ele escreveu que “passa cada vez mais tempo escrevendo para crianças . Isso ocorre em parte porque tenho seis netos. ” Sua própria produção literária começou quando ele ainda era uma criança, escrevendo sua primeira peça de teatro aos dez anos de idade. Passou a ser presidente da University Poetry Society enquanto estudava em Oxford. Ele também trabalhou como jornalista - o primeiro a publicar uma entrevista com os Beatles - e roteirista de cinema e TV, e foi membro da Royal Society of Literature.
 
 
 
a quem possa interessar 
 
um dia fui atropelado pela verdade
desde o acidente ando desse jeito
então engesse minhas pernas
conte-me mentiras sobre o Vietnã
 
ouvi o despertador gritando de dor
não me encontrei e voltei a dormir
então encha meus ouvidos de prata
engesse minhas pernas
conte-me mentiras sobre o Vietnã
 
toda vez que fecho os olhos, tudo o que vejo são as chamas
fiz uma agenda de mármore e nela esculpi todos os nomes
então cubra meus olhos com manteiga
engesse minhas pernas
conte-me mentiras sobre o Vietnã
 
sinto um cheiro de queimado, espero que seja apenas o meu cérebro
eles estão lançando apenas balas de hortelã e grinaldas de margaridas
então inunde meu nariz com alho
cubra meus olhos com manteiga
engesse minhas pernas
conte-me mentiras sobre o Vietnã
 
onde você estava na hora do crime?
lá pelos túmulos bebendo lodo
então prenda minha língua com whisky
inunde meu nariz com alho
cubra meus olhos com manteiga
engesse minhas pernas
conte-me mentiras sobre o Vietnã
 
você lança seus bombardeios, despreza sua consciência
você toma o ser humano e o distorce completamente
então esfregue a minha pele com mulheres
prenda minha língua com whisky
inunde meu nariz com alho
cubra meus olhos com manteiga
engesse minhas pernas
conte-me mentiras sobre o Vietnã
 
 
[Tradução do poeta André Merez]
 
 
__


Postado originalmente no dia 22 de Abril de 2020 às 15:56

Leia também



Uma nova declaração de amor

por Adriano B. Espíndola Santos



Leia +