Cinco Poemas Inéditos de Líria Porto

por Líria Porto





Líria Porto – professora, poeta, natural de araguari – mg – autora dos livros borboleta desfolhada e de lua publicados em portugal em 2009, de asa de passarinho e garimpo – editora lê – 2014 e cadela prateada – editora penalux – 2016 – e do blogue tanto mar. Tem poemas publicados em vários sites, jornais e revistas, entre eles germina literatura, escritoras suicidas, mallarmargens, zunái, zona da palavra.
 



o visitante

já o inverno me rodeia
tece sua teia branca
finca estaca lá na porta
entra por baixo das telhas
reclama lenha coberta
arranha-me a pele

eu quieta no meu canto
ele insiste pede leite
uma dose de conhaque
chá de cravo de canela
chocolate sopa quente
agasalho meias vela

o inverno veio cedo
com seus braços magricelas
respiração ofegante
pouco cabelo
misérias

_
 
les misérables

em noites turvas ou frias
pobres corpos se procuram
sob viadutos e marquises

nos redutos dos ratos e das aranhas
os filhos do infortúnio

_
 
friagem

tão longas as noites de inverno
e a terra
envolta em luar e em saudade
leva-me a pensar que a vida
embora bela
cantada e decantada pelos poetas
não vale quanto pêsame

_
 
fogaréu

há um verso intermitente
está sempre à tocaia

no espelho vejo-o avesso
nuvem negra me atrapalha

sem espada sem nobreza
submeto-me à cangalha

ele empurra o travesseiro
abro os olhos mui calada

ele deita no meu peito
quer rasgar minha mortalha

eu tão pálida tão sem jeito
ele abusa de um atalho

e se instala no meu útero

(sê poeta não te entraves
nem te escondas do crepúsculo
os vermelhos ficam grávidos)

_
 
clausura

estar entre muros
ser própria a sepultura
a prematura morte

(o silêncio
               de deus)
 
 
_ _


Postado originalmente no dia 8 de Julho de 2017 às 19:16

Leia também



Três Poemas de Luta

por José Craveirinha



Leia +