Seis Poemas de Virgínia M Finzetto

por Virgínia M Finzetto


 

Virginia Finzetto é jornalista, com formação acadêmica pela Cásper Líbero e pela USP - Universidade de São Paulo. Desde 2004, escreve e publica seus textos em páginas de poesia e literatura da internet, nas redes sociais e em seu blog pessoal. Seus poemas foram publicados em várias edições do Livro da Tribo, da revista literária Plural e na coletânea dos poemas classificados no 16° Concurso de Poesias da Universidade Federal de São João Del-Rei, em 2016. VI E/OU VI que o vento é aqui, seu primeiro livro de poesia, foi lançado pela Scenarium Plural Livros Artesanais, em 2017.
 
lavoura
 
arar
pautas
e espalhar letras
no claustro
em orações
as palavras brotam
em si
 
_
 
 
caidinha
 
me diz, pétala...
como preencher
o boletim de ocorrência:
caístes em novo
falling in love
ou foi só reincidência?
 
_
 
 
um piscar
 
flagrou um recorte
o V do decote
um detalhe do talhe
da veste
esse ângulo fechado
um ponto da ponte
revela apenas a parte
como sendo o todo
do visto
 
_
 
 
queria ser perfeita
 
longilínea
delgada
queria ser impávida
perfilada
silenciosa
queria ser blasé
desatenta
misteriosa
acho que estou com inveja
da manequim
da vitrine que vi na loja
 
_
 
 
ontem engoli
 
um ramalhete de rosas
os talos entalaram
de espinhos o esôfago
as flores preencheram
de pétalas a boca
hoje as palavras vertem
perfume e sangue
 
_
 
 
jogo
 
eu perdoo,
porque jogamos
de igual para igual
em campo minado de joio
como opostos elos
do mesmo flagelo
a disputar tortas verdades
de frágeis egos...
mas é a plateia a cega que,
enquanto esconde suas vergonhas,
prefere um a outro


_



Postado originalmente no dia 6 de Julho de 2017 às 16:43

Leia também



Breve Despedida

por Carlos Felipe Moisés



Leia +